Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Defesas de Trabalho

Página: 1/5.

<< Anterior
1 | 2 | 3 | 4 | 5 Próximo >>
2017 
Título: Integrated analysis of the ecological and socioeconomic dimensions of the Cerrado hotspot landscape: political implications for conservation and restoration 
Data: 28/08/2017  Orientador: Jose Manuel Ochoa Quintero 
Banca: Alexandra Penedo de Pinho, Antonio Conceicao Paranhos Filho, Danilo Bandini Ribeiro, Jose Manuel Ochoa Quintero, Paulino Barroso Medina Júnior, Roberto Macedo Gamarra 
Alunos: Mauricio Stefanes (ING: 2013/1) 
Área: ECOLOGIA 
Curso: Doutorado em Ecologia e Conservação
Resumo
Integrated analysis of the ecological and socioeconomic dimensions of the Cerrado hotspot landscape: political implications for conservation and restoration X
A humanidade não pode mais continuar convertendo habitats nativos sem considerar os limiares e finitude dos recursos naturais, por outro lado também não é estratégico que estudos e planejamentos ambientais estabelecerem metas de conservação/restauração a revelia dos aspectos e tendências socioeconômicos globais. A modelagem utilizada aqui testa se diferentes unidades de análises e diferentes escalas espaciais poderiam influenciar na compreensão dos limiares ecológicos acerca da manutenção ou recuperação da biodiversidade. Além disso, engloba as dimensões ecológicas e socioeconômicas nas análises. No capítulo 1 apresento um framework comparando cenários com diferentes metas de conservação/restauração ecológica de modo a obter maior ganho de área e qualidade delas com menores custos. Paralelamente, os conflitos com donos de terra são minimizados por meio do balanceamento entre valores de resiliência ecológica e de rentabilidade agropecuária na escala das paisagens, para as quais classifiquei os níveis de prioridade para restauração. No capítulo 2, aproveitando a recente disponibilidade do acervo agrário brasileiro, analisei os ativos e passivos de cobertura nativa no interior das propriedades rurais e descobri que 67% das fazendas apresentam algum déficit de vegetação nativa na porção do bioma Cerrado no Estado de Mato Grosso do Sul. Além disso, constatei haver uma concentração fundiária na área estudada, já que 74,2% do território é ocupado por grandes propriedades, e que por isso detém as maiores áreas de remanescentes de vegetação. Dentre os usos identificados, a pastagem é a atividade que ocupa mais de 50% da área total por classes de tamanho analisadas. Em segundo, está a produção de grãos de soja e milho para exportação, seguida por cana-de-açúcar e eucalipto. No terceiro capítulo apresento sugestões para programas de restauração que considerem as diferentes classes de tamanho das fazendas aliadas ao nível de rentabilidade das propriedades a fim de reduzir custo global de restauração, mas também maximizar taxa de sucesso de programas de restauração ecológica. Assim, por meio da integração das análises dos dois primeiros capítulos, foi possível incorporar o custo de oportunidade das áreas excedentes no índice de rentabilidade em nível de propriedade, estratégia que pode conferir um benefício extra aos donos de terras que mantiveram a cobertura de vegetação nativa, além de trazer nosso modelo mais perto da realidade de campo.
Arquivo(s)
 
Título: Community structure and functional composition of small mammals in a transitional region between Atlantic forest-Cerrado 
Data: 23/08/2017  Orientador: Vanda Lucia Ferreira 
Banca: Emerson Monteiro Vieira, Jayme Augusto Prevedello, Marcus Vinicius Cianciaruso, Mauricio de Almeida Gomes, Nilton Carlos Caceres, Vanda Lucia Ferreira 
Alunos: Wellington Hannibal Lopes (ING: 2013/2) 
Área: ECOLOGIA 
Curso: Doutorado em Ecologia e Conservação
Resumo
Community structure and functional composition of small mammals in a transitional region between Atlantic forest-Cerrado X
A perda de habitat tem grandes efeitos negativos sobre a biodiversidade, sendo um mecanismo 
típico de extinção. A riqueza de espécies é, de longe, a medida mais comum de biodiversidade 
utilizada por cientistas, conservacionistas e formuladores de políticas públicas, mas a perda de 
diversidade funcional pode ser mais grave ainda, porque a intensificação do uso da terra pode 
reduzir a diversidade funcional das comunidades de animais além das mudanças na riqueza de 
espécies sozinhas, potencialmente comprometendo a provisão de serviços ecossistêmicos. No 
entanto, até o melhor de nosso conhecimento, não há estudos com pequenos mamíferos que 
exploraram a abordagem da paisagem em várias escalas ou a variação da composição dos 
atributos funcionais ao longo de uma paisagem alterada por humanos. Portanto, a compreensão 
dos efeitos do processo espacial e ambiental, como a estrutura da vegetação, os recursos 
alimentares, os fragmentos de habitat e a estrutura da paisagem na composição taxonômica e 
funcional, pode ser um conhecimento fundamental para a conservação da comunidade em 
paisagens fragmentadas. Meu principal objetivo nesta tese é investigar o papel da disponibilidade 
e qualidade do habitat na estrutura da comunidade e na composição funcional de pequenos 
mamíferos em uma região de transição entre uma região de Floresta tropical e Cerrado. Eu 
avaliei a resposta de marsupiais e roedores para efeito de espaço e variáveis ambientais tomadas 
na escala: micro, patch e paisagem. Eu também testei a relação de traços ecológicos de pequenos 
mamíferos com gradiente de complexidade de habitat. Em geral, meus resultados mostraram que 
a composição de pequenos mamíferos foi estruturada em escala espacial e em todas as escalas 
ambientais: estrutura de vegetação (troncos caídos, lianas e cobertura do dossel), mancha de 
habitat (índice de densidade normalizada) e composição da paisagem (área total do núcleo - Uma 
métrica de cobertura florestal). Nossos achados mostraram a limitada capacidade de dispersão de pequenos mamíferos. A importância da qualidade do habitat na escala de micro e de mancha e 
disponibilidade de habitat em escala de paisagem para a composição de pequenos mamíferos. 
Nossos resultados também indicaram que o gradiente de complexidade do habitat afeta a 
composição taxonômica da comunidade e a composição dos atributos funcionais de pequenos 
mamíferos em florestas secundárias, sendo que a pressão seletiva parece estar relacionada 
principalmente a uma combinação de tolerância a habitat perturbado e características de 
necessidades alimentares. Este estudo pioneiro destaca a importância da abordagem multi-escala 
e da composição funcional para a compreensão da pequena estrutura da comunidade de 
mamíferos em uma paisagem humana alterada. 
Arquivo(s)
 
Título: Influência da sazonalidade na comunidade de aves em campos alagáveis e ambiente associados, no Pantanal de Miranda, MS 
Data: 10/02/2017  Orientador: Rudi Ricardo Laps 
Banca: Fabio de Oliveira Roque, Heitor Miraglia Herrera, Josue Raizer, Luiz Gustavo Rodrigues Oliveira Santos, Rudi Ricardo Laps 
Alunos: Iêda Maria Novaes Ilha (ING: 2012/1) 
Área: ECOLOGIA 
Curso: Doutorado em Ecologia e Conservação
Resumo
Influência da sazonalidade na comunidade de aves em campos alagáveis e ambiente associados, no Pantanal de Miranda, MS X
As comunidades naturais são sistemas dinâmicos espacialmente heterogêneos cuja densidade e estrutura mudam com o tempo, principalmente em ambientes altamente sazonais como o Pantanal, sujeito a variações no pulso de inundação e precipitação. Avaliamos a variação na riqueza e na abundância de aves ao longo das estações de cheia, vazante, seca e enchente, em função da sazonalidade, pulso de inundação e pluviosidade, ao longo de três ciclos anuais. Avaliamos também a distribuição em guildas tróficas e status de ocorrência. O estudo foi desenvolvido na região do Pantanal do Miranda em Mato Grosso do Sul, em áreas de campos inundáveis e ambientes associados (canjiqueiral, paratudal, borda de capão e mata ciliar). Foi utilizado o método de transectos lineares com registro visual e auditivo. Registramos 235 espécies de aves (11.581 registros), 117 Não-Passeriformes e 118 Passeriformes (50,2%). As espécies com maior abundância foram Patagioenas picazuro, Brotogeris chiriri, Columbina picui, Aratinga nenday e Phimosus infuscatus. Registramos três ciclos sazonais distintos: dois anos de cheia intercalados por um ano sem extravasamento do rio. As guildas mais abundantes foram insetívoras (39%), seguido de onívoras (30%). Além de aves residentes, o local foi utilizado por aves nômades e migratórias neárticas e austrais. A comunidade de aves (riqueza e abundância) respondeu significativamente ao pulso de inundação, sendo que níveis altos do rio afetam negativamente a riqueza de aves. Consequentemente, a cheia foi o período de menor riqueza e menor abundância de aves. A maior riqueza ocorreu na seca e a maior abundância na vazante. Graus diferentes de inundação propiciaram resultados distintos na comunidade de aves, levando a crer que uma cheia intensa tem impactos mais negativos que um ano sem cheia, e que anos com cheias menores podem favorecer a comunidade de aves. A precipitação não se relacionou significativamente com a riqueza ou abundância de aves, e a variação temporal também não foi significativa. Em função de variações plurianuais no ciclo de inundação, houveram dois anos com cheia, intercalados com um ano sem cheia. No ano sem cheia, apesar de chuvas terem criado grande áreas de alagamento nos meses equivalentes, algumas espécies dependentes de campos alagados estiveram ausentes. Campos alagáveis e ambientes associados da região do Miranda abrigam riqueza de aves expressiva, que utilizam a área principalmente para forrageio, sendo importantes para espécies residentes, visitantes nômades,  migratórias  neoárticas e austrais. 
 
 
Arquivo(s) Iêda Ilha - Tese Final.pdf
2016 
Título: Demographic and genetic parameters of two pond-breeding frogs in human-altered landscapes of the Brazilian Chaco 
Data: 15/07/2016  Orientador: Cynthia Peralta De Almeida Prado 
Banca: Carlos Guilherme Becker, Cynthia Peralta De Almeida Prado, Diego Jose Santana Silva, Fausto Nomura, Fernando Rodrigues da Silva, Tiago da Silveira Vasconcelos 
Alunos: Gabriel Paganini Faggioni (ING: 2012/1) 
Área: ECOLOGIA 
Curso: Doutorado em Ecologia e Conservação
Resumo
Demographic and genetic parameters of two pond-breeding frogs in human-altered landscapes of the Brazilian Chaco X
Rãs são organismos semiaquáticos dependentes de corpos d’água para reprodução e
desenvolvimento dos girinos, mas que utilizam ambientes terrestres para procurar abrigo e
alimento, assim como para migração e dispersão. Consequentemente, hábitats terrestres
adequados devem estar distribuídos ao redor de corpos d’água para garantir o ciclo de vida
completo da maioria das espécies de rãs. Na direção oposta, atividades antrópicas avançam sobre
vegetações nativas, alterando a composição e configuração das paisagens e desconectando
ambientes aquáticos e terrestres. Ao longo desta Tese, eu investiguei os efeitos da modificação
antrópica da paisagem em parâmetros demográficos e genéticos de duas rãs Neotropicais que se
reproduzem em poças temporárias, Leptodactylus bufonius (Lb) e L. chaquensis (Lc). As duas
espécies coocorrem na paisagem de estudo, o Chaco brasileiro de Porto Murtinho, mas
apresentam diferentes estratégias reprodutivas e preferências de hábitat. No Capítulo 1, eu
estimei as probabilidades de ocupação de hábitat, detecção, colonização e extinção local através
de análises em múltiplas escalas geográficas. Meus resultados mostraram que a substituição de
vegetação nativa por pastos afetou a probabilidade de ocupação do hábitat por Lc, mas os efeitos
mais fortes foram observados em Lb devido ao seu modo reprodutivo. No Capítulo 2, para
possibilitar a investigação dos efeitos da modificação de hábitat em parâmetros genéticos de Lb e
Lc, eu isolei e caracterizei marcadores microssatélites para as duas espécies. Os novos
marcadores genéticos apresentaram alto polimorfismo e estão entre os poucos microssatélites
disponíveis para o estudo de espécies do gênero Leptodactylus. No Capítulo 3, eu usei os novos
marcadores genéticos para procurar por evidência de gargalos genéticos e endogamia, assim
como para investigar a influência das modificações de hábitat na conectividade funcional entre
as poças. Eu utilizei análises clássicas de genética de populações, assim como avanços recentes
na teoria e ferramentas de genética de paisagem, como a parametrização de superfícies de
resistência baseada em dados quantitativos. As duas espécies apresentaram evidências de
impactos demográficos passados (poucas gerações). Meus resultados indicaram que a
configuração atual da paisagem parece estar limitando o fluxo gênico de Lb, mas não de Lc entre
as poças. Em conclusão, meus resultados indicaram que a conversão de matas nativas em pastos
afetou diferentemente as populações de Lb e Lc. Indivíduos de Lc utilizaram todos os tipos de
poças e foram capazes de se movimentar através da matriz de pastos. Lb foi dependente de
hábitats florestados devido ao seu modo reprodutivo. Para esta espécie, poças temporárias devem
estar cercadas e conectadas por áreas florestadas para que se garanta a conectividade funcional e
a reprodução. A minha tese ressalta (1) a importância de hábitats terrestres para espécies de rãs
semiaquáticas; (2) as conexões entre características espécie-específicas e as consequências da
modificação de hábitat; (3) a relevância de estudos com múltiplas espécies em estudos de
ecologia de paisagem; e (4) a utilidade de hipóteses biologicamente informativas baseadas em
características espécies-específicas.
Arquivo(s) Gabriel Faggioni Tese Final.pdf
 
Título: Spatiotemporal distribution of Phyllostomid bats in the Pantanal wetland: effects of resource availability and vegetation structure 
Data: 10/06/2016  Orientador: Erich Arnold Fischer 
Banca: Christoph Friedrich Johannes Meyer, Josue Raizer, Luiz Gustavo Rodrigues Oliveira Santos, Maria João Veloso da Costa Ramos Pereira 
Alunos: Maurício Silveira (ING: 2011/2) 
Área: ECOLOGIA 
Curso: Doutorado em Ecologia e Conservação
Resumo
Spatiotemporal distribution of Phyllostomid bats in the Pantanal wetland: effects of resource availability and vegetation structure X
Eu testei a hipótese de que a intensidade de inundação influencia a ecologia de populações e
comunidades de morcegos filostomídeos no Pantanal. A intensidade de inundação influencia a
estrutura da vegetação, composição e a disponibilidade de frutos e recursos florais que
influencia a dieta e o uso do hábitat dos filostomídeos. Os filostomídeos mais abundantes do
Pantanal têm dietas muitos similares centradas nas mesmas espécies de frutos comuns de
locais mais úmidos. No entanto diferenças na dinâmica do uso do hábitat entre as duas
espécies garante a coexistência e a alta abundancia em locais com maior previsibilidade na
disponibilidade de frutos. O consumo de recursos vegetais é filogeneticamente relacionado,
espécies filogeneticamente próximas consomem recursos vegetais em proporções similares. A
disponibilidade de recursos vegetais consumido pelos filostomídeos é influenciada pela
intensidade de inundação o que induz a uma resposta filogeneticamente estruturada da
comunidade de filostomíedos à intensidade de inundação. Linhagens distintas de
filostomídeos usam hábitats com diferentes intensidades de inundação em resposta aos
recursos vegetais mais consumidos. A instabilidade climática causada pelos ciclos de
inundação e seca limita a disponibilidade de recursos vegetais que afeta de forma
determinante a dieta, demografia e a estrutura da comunidade dos morcegos filostomídeos no
Pantanal.
Arquivo(s) Mauricio Silveira TESE Final.pdf
 
Título: Odonates as indicators of landscape change in a region of the Cerrado 
Data: 12/04/2016  Orientador: Fabio de Oliveira Roque 
Banca: Andrea Cardoso de Araujo, Daniel Forsin Buss, Gustavo Graciolli, Leandro Juen, Marina Schmidt Dalzochio, Sheyla Regina Marques Couceiro 
Alunos: Marciel Elio Rodrigues (ING: 2012/1) 
Área: ECOLOGIA 
Curso: Doutorado em Ecologia e Conservação
Resumo
Odonates as indicators of landscape change in a region of the Cerrado X
O conhecimento sobre quais fatores determinam as tendências atuais da biodiversidade
considerando às condições recentes de perda e fragmentação de habitats é essencial para
projetar e executar estratégias para conservação das espécies. Identificar e descrever as
consequências das ameaças antropogênicas atuais e seus efeitos sobre os padrões e
processos das assembleias de espécies são fundamentais para a ecologia de
comunidades. Neste estudo, investigamos como mudanças antropogênicas do uso do
solo em paisagens naturais afetam as comunidades de Odonata. Nós dividimos este
estudo em três capítulos. No primeiro capítulo, nós avaliamos se a comunidade de
Zygoptera (Odonata) demonstra respostas não lineares em relação ao declínio de
remanescentes de vegetação nativa em torno de córregos seguindo uma abordagem de
limiares. No segundo capítulo, considerando a desconstrução da comunidade em
“traits”, nós avaliamos como os diferentes comportamentos de oviposição das espécies
respondem a perda de vegetação nativa. No terceiro capítulo, nós consideramos a
comunidade desconstruída em “traits” relacionados à capacidade de dispersão enfatizando o papel da resistência da paisagem como um importante preditor na
estruturação dessas comunidades de Odonata. Os dados para este estudo foram obtidos a
partir de coletas em 116 córregos no estado de Mato Grosso do Sul. Nossos resultados
enfatizaram que a perda e ou modificações na vegetação nativa são variáveis chaves que
influenciam as comunidades de Odonata. As duas abordagens usadas nesse trabalho,
respostas não lineares, considerando a comunidade como um todo ou a comunidade
desconstruído em caracteristicas relacionados à capacidade de dispersão e oviposição,
são essenciais para avaliar o efeito das mudanças em paisagens naturais nas
comunidades de Odonata. Essas abordagens provaram ser ferramentas relevantes em
estudos de ecologia, auxiliando na tomada de decisões na conservação de espécies e
especialmente dos ambientes aquáticos que são essenciais para a manutenção de grande
parte da biodiversidade do planeta.

Arquivo(s) Marciel Elio Rodrigues Tese Final.pdf
 
Título: Dípteros ectoparasitos de morcegos no Novo Mundo: Distribuição espacial e padrões de associação 
Data: 29/02/2016  Orientador: Gustavo Graciolli 
Banca: Andrea Cardoso de Araujo, Fernando Paiva, Gustavo Graciolli, Luiz Eduardo Roland Tavares, Márcio Roberto Pie, Mauricio Osvaldo Moura 
Alunos: Luiz Felipe Alves da Cunha Carvalho (ING: 2010/1) 
Área: ECOLOGIA 
Curso: Doutorado em Ecologia e Conservação
Resumo
Dípteros ectoparasitos de morcegos no Novo Mundo: Distribuição espacial e padrões de associação X
Compreender os padrões de distribuição, abundância e interação de espécies é uma das propostas centrais em estudos ecológicos. Uma maneira comum de verificar se um conjunto de espécies resulta em uma comunidade estruturada ou ordenada é determinar se grupos específicos de espécies estão associados a um determinado habitat ou área biogeográfica. Os objetivos deste estudo foram investigar a associação de moscas ectoparasitas de morcegos nas Américas, entre as faixas latitudinais de 50º Norte até 40º Sul e 127º Oeste e 34º Leste, caracterizando e determinando o padrão estrutural das redes de interações estabelecidas; e avaliar o padrão espacial na riqueza de moscas ectoparasitas no continente americano, testando as variáveis preditoras deste padrão. A associação moscas-morcegos revelou redes não aninhadas, compartimentadas e modulares. As espécies interativas são gradativamente substituídas ao longo das faixas latitudinais, porém a especialização de rede é relativamente estável. Verificamos uma maior riqueza de moscas ao norte da Linha do Equador, sendo esta não relacionada ao gradiente latitudinal, nem à riqueza de espécies de morcegos ou variáveis ambientais. 
Arquivo(s) Luiz Felipe Carvalho_TESE FINAL.pdf
 
Título: Comunidade de anuros e o efeito do desenvolvimento urbano sobre a composição e riqueza de espécies em fragmentos florestais de Cerrado em Campo Grande, Mato Grosso do Sul, Brasil 
Data: 27/01/2016  Orientador: Franco Leandro de Souza 
Banca: Cynthia Peralta De Almeida Prado, Franco Leandro de Souza, Marcelo Menin, Sonia Zanini Cechin, Vanessa Kruth Verdade 
Alunos: Cláudia Márcia Marily Ferreira (ING: 2011/1) 
Área: ECOLOGIA 
Curso: Doutorado em Ecologia e Conservação
Resumo
Comunidade de anuros e o efeito do desenvolvimento urbano sobre a composição e riqueza de espécies em fragmentos florestais de Cerrado em Campo Grande, Mato Grosso do Sul, Brasil X
A destruição do habitat é um dos principais fatores responsáveis pelo declínio de
populações de anfíbios ao redor do mundo, sendo a urbanização um processo que
promove a fragmentação e perda do habitat, gerando mudanças profundas no ambiente,
o que contribui para a perda da biodiversidade de espécies. Mais de um terço das
espécies de anfíbios conhecidas no mundo está ameaçada pelo desenvolvimento urbano,
que gera mudanças na vegetação e hidrologia, poluição dos ambientes aquáticos e
terrestres e poluição sonora. Estudos demonstram que a composição de espécies de
anfíbios em áreas urbanas é alterada, ocorrendo um domínio de espécies generalistas
quanto ao uso do habitat, e que nestes locais a riqueza de espécies diminui. No Brasil,
poucos são os trabalhos que avaliaram os efeitos do desenvolvimento urbano sobre a
fauna de anfíbios e no estado do Mato Grosso do Sul é escasso o conhecimento sobre
este grupo de vertebrados em área urbana. Desta forma os principais objetivos deste
estudo foram descrever a composição de espécies e a riqueza de anfíbios anuros em
remanescentes de Cerrado na área urbana de Campo Grande, Mato Grosso do Sul,
Brasil, avaliar se as comunidades variam ao longo do gradiente de urbanização e
investigar o papel do habitat local sobre a composição e riqueza de espécies. A fauna de
anuros foi amostrada em três estações chuvosas por meio de armadilhas de
interceptação e queda, procura auditiva, procura visual e encontro fortuito. A análise da
paisagem urbana foi realizada em diferentes escalas espaciais ao redor das áreas de
estudo e a porcentagem de impermeabilização do solo e a distância de cada fragmento
do centro urbano de Campo Grande foram usadas como indicativas do nível de
urbanização. Variáveis do habitat local foram também mensuradas. Dezessete espécies
de anuros foram registradas e houve um predomínio de animais das famílias
Leptodactylidae e Hylidae. A anurofauna da região é dominada por espécies
generalistas e que toleram mudanças no ambiente promovidas pela ação do homem. A
composição e riqueza de espécies não foram afetadas pela urbanização. Uma possível
explicação para o resultado encontrado é que a variável porcentagem de área
impermeável do solo tenha um efeito limiar e que uma cobertura menor de superfície
impermeável da que foi registrada neste estudo seja suficiente para reduzir o número de
espécies de anuros da região. A área dos fragmentos urbanos não afetou a riqueza de
espécies; é provável que a presença de habitats aquáticos para a reprodução seja um
fator mais importante para determinar a presença de diferentes espécies de anuros que a
área fragmentos. Para que o impacto da urbanização sobre os anuros em Campo Grande
seja minimizado é importante que as áreas verdes sejam preservadas e restauradas. Para
que os anuros residentes possam se dispersar e migrar é necessário à existência de
corredores de habitat conectando os fragmentos florestais. Além disso, é fundamental
que a coleta e o tratamento do esgoto ocorram de forma adequada, para que a
reprodução e ciclos de vida dos anfíbios anuros não sejam alterados.
Arquivo(s) Cláudia M. M. Ferreira Tese_Final.pdf
2015 
Título: Efeito da heterogeneidade da paisagem e do habitat na comunidade de aves no oeste do Pantanal da Nhecolândia, Mato Grosso do Sul 
Data: 22/12/2015  Orientador: Rudi Ricardo Laps 
Banca: Alexander Charles Lees, Augusto Joao Piratelli, Danilo Bandini Ribeiro, Jose Manuel Ochoa Quintero, Rudi Ricardo Laps 
Alunos: Alessandro Pacheco Nunes (ING: 2011/2) 
Área: ECOLOGIA 
Curso: Doutorado em Ecologia e Conservação
Resumo
Efeito da heterogeneidade da paisagem e do habitat na comunidade de aves no oeste do Pantanal da Nhecolândia, Mato Grosso do Sul X
Intervenções humanas na paisagem do Pantanal em detrimento da substituição de habitats florestais por pastagens nativas têm modificado sua estrutura e alterado processos ecológicos. O objetivo deste estudo foi avaliar a estrutura da paisagem e dos habitats, notadamente os florestais, no oeste do Pantanal da Nhecolândia, Mato Grosso do Sul. O estudo foi desenvolvido durante as estações chuvosa e seca em três áreas de estudo: Fazenda Nhumirim (setembro-outubro de 2012 e janeiro de 2013), área com pastagens nativas (fevereiro e agosto-setembro de 2013) e área com pastagens cultivadas (março e julho-agosto de 2013). Em cada área de estudo foi montada um grade de amostragem com seis trilhas paralelas de 5 km de comprimento e dispostas a cada 1 km no eixo Noroeste-Sudeste. Nessas grades amostrais foram obtidos dados totais e por transectos das áreas (ha) das unidades de paisagem através de classificação das imagens de satélite. Para os habitats florestais foram obtidos dados de área (ha), isolamento médio (m), cobertura de sub-bosque (%), cobertura de dossel (%), biomassa de serapilheira (kg/cm2), bem como a circunferência à altura do peito - CAP (cm) e a densidade das espécies vegetais arbóreas (indivíduos/cm2). A Fazenda Nhumirim apresentou os maiores valores de área de floresta (1097,24 ha), as quais estão mais conectadas, em média a 148,2 m de distância em relação às outras manchas florestais, quando comparadas às demais áreas amostradas na região. Entretanto, grande parte da área com pastagens nativas é composta por campos inundáveis (3298,80 ha) e as manchas florestais presentes, notadamente os capões, estão mais isoladas na paisagem (em média a 368 m das demais manchas de floresta). A presença de gado bovino no interior das manchas florestais promove drásticas alterações na estrutura do sub-bosque, que é significativamente menor em capões (48,2 a 38,2%) quando comparado às cordilheiras em (85,2 a 60,6%). Os capões apresentaram os menores valores de biomassa de serapilheira (0,367 a 0,318 kg/m2), comparados às cordilheiras, com 0,700 a 0,668 kg/m2. A densidade de espécies vegetais arbóreas foi significativamente menor em capões, com 0,075 indivíduos/m2. Intervenções humanas na paisagem do Pantanal, tais como a substituição da vegetação nativa por pastagens cultivadas, podem afetar drasticamente a estrutura e processos ecológicos nos habitats florestais. 
Arquivo(s) Alessandro Nunes Tese Final.pdf
 
Título: Efeitos da dinâmica de inundação nas estratégias reprodutivas, na estrutura do banco de sementes e na diversidade funcional de comunidades de macrófitas aquáticas em lagoas do Pantanal 
Data: 15/12/2015  Orientador: Yzel Rondon Súarez 
Banca: Arnildo Pott, Geraldo Alves Damasceno Junior, Juan Jose Neiff, Luis Mauricio Bini, Sidinei Magela Thomaz, Yzel Rondon Súarez 
Alunos: Gisele Catian (ING: 2011/2) 
Área: ECOLOGIA 
Curso: Doutorado em Ecologia e Conservação
Resumo
Efeitos da dinâmica de inundação nas estratégias reprodutivas, na estrutura do banco de sementes e na diversidade funcional de comunidades de macrófitas aquáticas em lagoas do Pantanal X
Os fatores ambientais e a disponibilidade de recursos refletem na funcionalidade das
comunidades, sendo de grande importância a compreensão dos processos que
influenciam a organização e o estabelecimento dos indivíduos e quais suas implicações
para a manutenção da biodiversidade e de processos ecossistêmicos. As plantas
aquáticas apresentam traços morfológicos, anatômicos e de história de vida que
minimizam os efeitos das variações dos diferentes fatores ambientais e da dinâmica das
planícies inundáveis, resultando em sucesso de colonização por estas espécies em
ambientes aquáticos. A propagação vegetativa e a dormência das sementes ou esporos
no solo permitem à maioria das espécies de macrófitas aquáticas resistirem a estes
fatores ambientais. Além disso, os traços funcionais das espécies definem as
comunidades que suportam filtros ambientais, sendo importante conhece-los e definilos.
Neste trabalho, pretendeu-se observar como a inundação influencia na estrutura das
comunidades de macrófitas aquáticas em lagoas. Foram avaliadas as comunidades
destas plantas em 20 lagoas, quantificando a porcentagem de cobertura das espécies; a
biomassa dos órgãos reprodutivos e de propagação vegetativa destas; a abundânciae
riqueza da comunidade do banco de sementes, analisando a composição deste entre os
perfis das lagoas, a flora local e os tipos de lagoas; e os traços funcionais de adaptação
das espécies à inundação. Observou-se que há o investimento equivalente em ambas as
estratégias de propagação – sexuada e vegetativa, não havendo interação significativa
entre fase hidrológica e o tipo de propagação; o banco de sementes não difere entre os
perfis das lagoas; a flora local é 43,12% similar ao banco de sementes; há tendência das
lagoas temporárias, permanentes e “vazantes” diferenciarem-se; o pulso de inundação
determina os grupos funcionais das comunidades nas lagoas nas diferentes fases da
inundação. Concluiu-se que as comunidades estão estruturadas em relação à inundação
sazonal, a qual age como um filtro ambiental sobre os aspectos funcionais das espécies.

Arquivo(s) Gisele_Catian_Tese Final.pdf
<< Anterior
1 | 2 | 3 | 4 | 5 Próximo >>